Blog que avalia e compara sites

Traição virtual conta?

29 de Maio, 2018
Traição virtual conta?

Há uns anos atrás, a traição era sinónimo de encontros clandestinos em motéis. Hoje, com a Internet, redes sociais, aplicativos e sites de encontros, é possível a qualquer pessoa trair sem sair, literalmente, do lugar. Mas isso é sinónimo de infidelidade?

As pessoas passam tanto tempo ligadas à Internet que acabam por desvalorizar o mundo físico e até deixar de dar atenção aos companheiros. É num ápice que passam da interação com amigos em redes sociais à conversa com desconhecidos em chats. Daí às fantasias sexuais que o anonimato permite, é um pulinho! Algumas relações, nomeadamente casamentos, podem ser postas em causa devido a traições virtuais. Outras não. Muitas vezes a traição começa com uma conversa inocente num site de encontros. Noutras com a inscrição em sites direcionados precisamente a pessoas que pretendem cometer infidelidade. Muitas vezes trocam-se apenas frases e fotos, noutras vídeos. Numas, finda a aventura retoma-se o romance sólido que se tinha. Noutras nem por isso.

É verdade que a Internet trouxe inúmeras alegrias e facilidades, mas algumas das formas de interação social que permite causam transtornos. É deles que vamos falar de seguida: as traições cometidas de maneira virtual devem ser encaradas como um problema real na relação entre duas pessoas?

Traição é um termo relativo?

Sim, é. Parte da comunidade cientifica tem uma visão evolucionista do comportamento humano, nomeadamente na questão da traição. Numa fase inicial das relações entre homem e mulher, o objetivo era a reprodução. Nessa época tão afastada dos nossos tempos, eram os homens quem mais se preocupava com a traição, mas por motivos meramente egocêntricos, relacionados com a paternidade dos filhos. Os tempos evoluíram – e muito – e séculos depois já eram as mulheres as que mais se preocupavam com a infidelidade. Hoje ambos os sexos se importam (ou não) e além da questão da fidelidade conjugal levam-se em linha de conta critérios como a cultura, costumes e tradições de cada sociedade. Assim, e genericamente, o termo traição significa algo que não é permitido ou não é bem visto pelo código de conduta de um grupo social, mas isso depende do tipo de casal. Para alguns casais a traição não tem grande significado, para outros é motivo que baste para terminar a relação. E para outros ainda traição só tem significado se houver um sentimento de amor envolvido ou se for efetivada offline. Haverá casais que não se importam que o parceiro tenha sexo virtual com outra pessoa ou namore com outra pessoa através do ecrã de um computador.

A traição online é diferente da traição offline?

Traição

Mais uma vez, depende do casal em causa. Há pessoas que interpretam a traição virtual como uma brincadeira sem significado, outras atribuem-lhe a mesma importância que uma traição no espaço físico, porque o que lhes importa é o interesse que o parceiro(a) sentiu por outra pessoa, independentemente de ela estar a quilómetros de distância. E há ainda quem considere a traição virtual como traição se - e só se - houver sexo virtual. Trocas de piropos e conversas mais ousadas, não contam.

Certo é que para que um relacionamento funcione adequadamente, é necessário que ele seja pautado por alguns valores básicos, tais como amor, confiança, companheirismo e respeito. Ora, quando um dos elementos do casal decide trair o outro (seja fisicamente seja pela Internet) está a faltar-lhe ao respeito porque está a encetar uma relação extraconjugal… exceto se o parceiro(a) não entender isso como traição, não se ofender com tal ou só se sentir traído se o caso acontecer na vida real e não na Internet. Efetivamente, pode haver diferença na perceção das pessoas devido ao facto de não haver contato físico enquanto o relacionamento se mantiver a nível virtual. Muitas pessoas acreditam que enquanto não houver contato físico não existe traição. Cada caso é um caso, mas uma forma de perceber se a pessoa que está a trair tem consciência de que pode magoar o parceiro(a) é o sigilo, ou seja, manter segredo sobre o relacionamento via Internet significa que sabe que da outra parte a atitude era vista como traição.

Traição virtual pode magoar?

Mesmo que não haja contacto físico, a traição virtual é bem capaz de magoar e entristecer um parceiro(a) que supunha que a intimidade era um exclusivo seu. Revelar fantasias e sentimentos através de uma webcam quando se tem um(a) companheiro(a) pode ser fantasioso e empolgante para um, desesperante para o outro. Mas o laço entre o casal só é quebrado se efetivamente a pessoa traída se sentir como tal. Mais uma vez, há quem desvalorize as relações online.

Por que é que se usa tanto a Internet para trair?

Precisamente pela questão do anonimato e pela impossibilidade de haver contato físico, ou seja, para quem não pretende trair uma pessoa, mas não resiste a uma relação extraconjugal, é a solução ideal porque dá algum prazer sem compromisso. Trair num quarto de hotel, em comparação, parece um ato mais desleal e punível. Além de que as hipóteses dessa pessoa ser “apanhada” são maiores.

Para mais, na Internet as emoções são ampliadas e até perfeitas. No entanto, a perfeição online tende a não se conseguir manter num relacionamento físico.

Como lidar com a traição virtual?

Do mesmo modo como se lidaria com a traição física (para umas pessoas) ou de um modo mais ligeiro (para outras). A solução, em ambos os casos, é optar por um diálogo franco com o(a) companheiro(a), expondo as suas desconfianças e os seus sentimentos em relação às mesmas. Deve haver abertura em relação ao que a outra pessoa tem a dizer sobre o assunto para que a “infidelidade” possa ser resolvida com maturidade. Num caso mais extremo, a pessoa traída terá todo o direito de reavaliar o relacionamento. Em muitos casos, quando a confiança é quebrada, terminar a relação é a melhor forma de evitar desgostos maiores.

Cabe a cada um decidir se deve ignorar, perdoar ou acabar o relacionamento depois de descobrir que foi traído(a) virtualmente. Para uns, este tipo de infidelidade conta, para outros nem por isso. Como reagiria se fosse consigo?


Sem comentários

Comente o artigo

Campos obrigatórios *